QUARTA-FEIRA - Procissão das Dores
 
     
 

A quarta-feira é marcada pela Procissão das Dores, durante a qual a imagem de Nossa Senhora das Dores é levada às ruas da cidade. Durante a procissão o coral canta os Motetos de Dores, um conjunto de três motetos composto por Manoel Dias de Oliveira. Na versão original deste conjunto havia quatro motetos, mas o quarto é desconhecido em Campanha. Como há sete paradas durante a procissão, canta-se a següência duas vezes e o primeiro moteto é repetido uma terceira vez na Catedral no final da procissão, onde a imagem é exposta para devoção.

 
     
 
 
     
  O Primeiro Moteto de Dores, Cui comparabo te, contém o seguinte texto:  
     
 

Cui comparabo te? Vel cui assimilabo te, filia Jerusalem? Magna est velut mare contritio tua.

A quem te compararei? Ou a quem te assemelharei, ó Filha de Jerusalém? A quem te igualarei para te consolar, pois é grande como o mar a tua mágua.

 
     
  O Segundo Moteto de Dores, Facta est, contém o seguinte texto:  
     
 

Facta est quasi vidua domina gentium; princeps provinciarum facta est sub tributo.

Tornou-se como uma viúva a senhora das nações; a princesa das províncias ficou sujeita ao tributo!

 
     
  O Terceiro Moteto de Dores, O vos omnes, usa o mesmo texto que o Quinto Moteto de Passos e o Canto da Verônica:  
     
 

O vos omnes qui transitis per viam, attendite et videre si est dolor sicut dolor meus.

O vós todos que passeis pelo caminho, olhai e vede se há dor semelhante à minha.

 
     
 
 
     
  No passado a procissão de quarta-feira era seguida pelo primeiro dia do Ofício das Trevas, uma cerimônia complexa e dramática que foi abandonada há algumas décadas. A cerimônia vinha de uma tradição cristã antiga em que quinze velas eram lentamente apagadas uma por uma até que apenas uma restava acesa. Isto representava a vida de Cristo chegando ao fim. A última vela era escondida e na escuridão total da igreja o povo começava a bater os pés para fazer o máximo de barulho possível, representando o som da ressurreição. Neste momento, acendiam-se as luzes. Atualmente é apenas em São João del-Rei que o Ofício das Trevas é ainda celebrado.  
     
 
Próxima página